Pular para o conteúdo principal

Irregularidades no processo contra os vereadores Magno Nazar e Agenor Brandão foram a causa da suspensão da audiência.

Os vereadores Magno Nazar (PRP) e Agenor Brandão (PV), vitimas de uma ação processual em aberto a pedido do Ministério Público de Rosário representada pela Drª Elisabeth Albuquerque de Sousa, que ajuizou em 18 de dezembro de 2012, em uma ação já justiça eleitoral pedindo a cassação do mandato eletivo dos dois vereadores, baseando-se no relatório da operação ‘’Quadrilha’’ deflagrada e conduzida pela DENARC/SEIC.

Os dois parlamentares foram alvo dessa investigação, onde foram utilizados grampos telefônicos com autorização judicial. Segundo informações, a polícia teria recebido denúncias anônimas, de que os dois edis rosarienses estariam envolvidos em crimes de trafico de drogas, porém, nada nesse sentido foi detectado pela escuta telefônica.


Dr. Mozart Baldez
Mesmo não sendo detectados os crimes pelo qual o Departamento de Investigação sobre Narcóticos (DENARC) estava investigando, os parlamentares Magno Nazar e Agenor Brandão estão respondendo judicialmente, sem ao menos terem o direito de ampla defesa e do contraditório, segundo o Dr. Mozart Baldez, advogado dos vereadores. “No caso em exame é necessário que haja equilíbrio de forças entre acusação e defesa patrocinado pelo juízo. Prerrogativa essa não aplicada em relação ao paciente que está sendo processado sem que possa exercer de forma plena o seu direito de ampla defesa e contraditório”. Concluiu!

De Acordo com a defesa, A interceptação telefônica apresenta uma série de irregularidades:

1°) Não foram especificadas, na autorização de quebra de sigilo telefônico, A QUALIFICAÇÃO completa do paciente que é vereador de SEGUNDO MANDATO em Rosário e comerciante há 22 anos, indispensabilidade da medida e o objeto da investigação;

2°) Inexistência de fundamentos apontando dados concretos da indispensabilidade;

3°) Não houve investigação policial, instauração de inquérito policial, ou outro procedimento policial, sequer boletim de ocorrência; a polícia civil não realizou nenhuma diligência. No mesmo sentido o Ministério Público. A Polícia Militar não pode praticar ato de Polícia Judiciária sob pena de cometer crime de usurpação  de  função. Informe e relatório não é investigação policial, portanto não havia respaldo para a concessão da medida com base no INFORME da PM, diga-se de passagem, que não fora constituído de nenhum meio físico, materializado, através de documentos e outras provas; ademais a Polícia Militar , diante do seu próprio INFORME e RELATÓRIO não instaurou nenhum procedimento investigativo para apurar a PARTICIPAÇÃO DOS SEUS INTEGRANTES NA QUADRILHA, e isto é mais um fato inexplicável nesta MISTERIOSA contenda.

4°) O pedido de interceptação telefônica baseia-se em denúncia anônima, segundo o relatório da PM, fls. 09, segundo parágrafo – volume 2, obtido de uma informante. O nome dela sequer fora declinado no relatório. Mesmo correndo o processo sob segredo de justiça a informante NÃO prestou declarações. Consta ainda no último parágrafo de fls. 09, volume 2, que o paciente seria pai da mulher de um tal BERNARDO, o que não é verdade e que segundo a informante pertencia à organização criminosa , junto com o então Vereador NESTOR, à época Presidente da Câmara de Vereadores de Rosário. O curioso é que o delegado do DENARC não representou pela interceptação telefônica do NESTOR, às fls. 04.
 
Para Dr. Mozart Baldez, a enorme quantidade de mandados de quebra de sigilo e interceptação telefônica e a forma indiscriminada com que essa ferramenta de investigação vem sendo usada pelo Ministério Público e pelas Polícias, com aquiescência do Poder Judiciário, não devem continuar a ser utilizadas da forma com vem sendo, pois ferem o espírito constitucional. No que tange à proteção dos direitos fundamentais e individuais das pessoas. A Lei é clara ao dispor que essa ferramenta de investigação deve ser utilizada em última hipótese, haja vista afrontar normas constitucionais, o que não vem sendo observado por alguns Magistrados.
 
Além dessa prerrogativa da defesa representada pelo Dr. Mozart, que reforçaram o ganho no adiamento da audiência sem data estabelecida, ainda foram encontrados no processo em arrolo, ausências de provas lícitas e falta de nomes dos prováveis denunciantes, que teria motivado a interceptação telefônica.
 
O blog obteve cópias da petição que suspendeu audiência dos vereadores Agenor Brandão e Magno Nazar, onde foi acatada no dia 09 deste mês, pela Juíza Andréia Cysne Frota Maia, da 18ª zona eleitoral, ficando suspensa por tempo indeterminado. Também foram impetrados dois Habeas Corpus no Tribunal Regional Eleitoral e, serão ajuizados nesta semana mais outros recursos e outro HC em face das ilegalidades apontadas e praticadas diante dos dois parlamentares.
 
Em contato com o titular do blog, Dr. Mozart Baldez disse que a causa é praticamente ganha, por obter diversas irregularidades. Ele disse ainda, que deve processar o estado, estimando uma indenização de 10 milhões de reais.
 
 
Por Bacabeira em Foco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Criança morre após negligência médica em Axixá

Uma  criança de   1 ano onze meses perdeu a vida na cidade de Axixá, após negligência médica a mãe Valeria Silva se deslocou até o hospital e Maternidade em Axixá nesta segunda-feira (19),   na busca de atendimento médico para seu filho que se chama Dierlison Ryan, a mãe estava desesperada quando chegou no hospital na hora ser atendida o médico de plantão olhou para criança e alegou que a criança estava era só com sono e para mãe não se preocupa, sendo que a criança estava chorando e mãe falou para o médico que seu filho estava sim passado mal mais médico voltou a dizer que era só sono uma omissão de socorro por parte do médico da cidade.
A mãe não foi atendida no hospital onde o profissional da saúde ser quer examinou a criança para ver se tinha algo a mãe acabou voltando para casa sem atendimento médico, com o seu filho quando chegou em sua casa a  criança não resistiu veio a óbito,  morrendo na casa em plena cama da mãe.

A prefeita de Axixá Sônia vem fazendo uma péssima gestão e se q…

MP notificou a prefeita Irlahi e Calvet Filho por campanhas irregulares e crimes eleitorais; Irlahi ainda responde por Showmício

Rosário-MA: Dois candidatos a prefeitos de Rosário foram notificados na Justiiça Eleitoral pelo Ministério Público, devido a irregularidade em suas campanhas e até crimes eleitorais.  As notificações foram assinadas pela juíza eleitoral Karine Lopes de Castro da 18ª Zona Eleitoral-MA.

Contra Irlahi Moraes (PMDB) pesa a representação Nº 795-46.2016.6.10.0094 e contra Calvet Filho (PSDB) a N° 746-31.2016.10.6.10.0094. É importante ressaltar que eles podem recorrer, mas por se tratar de ações ingressadas pelo próprio MP é bem possível que sejam punidos. Nos bastidores políticos já é esperado que ambas campanhas recebam multas pesadas.


Irlahi Moraes desde a sua convenção tem atropelado todos os protocolos eleitorais, por exemplo: realizando caminhada no dia da sua convenção pelas ruas da cidade a distâncias superiores a 100 metros do local do evento. Já Calvet Filho ates mesmo da eleição já fazia propaganda irregular desafiando a Justiça Eleitoral com comícios, carros adesivados com propaga…

Empresária morre após ser baleada durante assalto e populares pedem justiça e querem invadir a delegacia de Rosário e linchar os assassinos.

Empresária Adilce Silva  dona da academia Espaço Fitness  morreu após ser baleada durante um assalto na noite   deste domingo (21) .   De acordo com informações a vítima estava na padaria da família que fica localizada na rua Benedito Leite no centro de Rosário, quando foi abordada pelos dois criminosos que são menores de idade. Segundo informações Adilce  e familiares entregaram os celulares e os pertences mais mesmo assim um dos criminosos atirou na empresária um absurdo um ato de crueldade com uma pessoa de bem um dos criminoso chegaram aponta a arma para uma criança de 4 anos sendo que a criança neto de Adilce .
A empresaria foi levada ao hospital SESP mais não resistiu Adilce Silva era casada com Zondeck Anceles que é irmão do gestor da regional da saúde de Rosário Willame Anceles. a empresaria Adilce é um símbolo do mundo fitness e na cidade e região.
Os bandidos foram presos e a população cercou a delegacia e  a população esta revoltada e pedindo justiça.
A violência to…