Pular para o conteúdo principal

Parceria da Prefeitura promove inclusão de crianças com deficiência por meio da Educação Física

Parceria da Prefeitura promove inclusão de crianças com deficiência por meio da Educação Física
Visando reforçar a inclusão das crianças e adolescentes com deficiência nas escolas da rede municipal, a Prefeitura de São Luís iniciou nesta quinta-feira (6) as atividades do projeto "Portas Abertas para a Inclusão" em quatro escolas municipais. O projeto, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), é resultado de parceria da Prefeitura com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Instituto Rodrigo Mendes e a Fundação FC Barcelona.
"O prefeito Edivaldo é um grande defensor das parcerias capazes de agregar conhecimento aos nossos educadores e de trazer benefícios para nossas crianças e adolescentes. Com este projeto, também daremos mais um passo no sentido de fazer das nossas escolas ambientes cada vez mais de igualdade e efetivo exercício de todos os seus direitos, posto que os nossos professores, devidamente capacitados, atuarão de modo a desenvolver as competências de cada estudante", disse o titular da Semed, Geraldo Castro Sobrinho.
Aplicado com sucesso em outras treze capitais brasileiras, é a primeira vez que o projeto "Portas Abertas pela Inclusão" chega ao Maranhão. Em São Luís, o projeto será desenvolvido nas Unidades de Educação Básica (U.E.B.) Maria Alice Coutinho (Turu), RubemTeixeira Goulart (Cohab), Luís Viana (Alemanha) e Roseno de Jesus Mendes (Vila Janaína).
Na U.E.B. Maria Alice Coutinho, uma solenidade especial marcou o início do projeto, da qual participaram pais, professores, gestores, estudantes e o secretário municipal de Educação.
INCLUSÃO
Antes do início oficial das atividades nas escolas, 35 professores de Educação Física da rede municipal participaram de uma formação semipresencial na área de Educação Física Inclusiva, que durou todo o primeiro semestre letivo. Como o início do segundo semestre, começa o período em que os educadores vão colocar em prática o aprendizado da formação e buscar, nas turmas em que lecionam, promover a inclusão dos estudantes com deficiência por meio de projetos pedagógicos.
A U.E.B. Maria Alice Coutinho desenvolverá até outubro deste ano o projeto "Companhia de Dança no ritmo da Inclusão". Abrangendo toda a escola, mas com foco específico nos estudantes surdos e com deficiência intelectual do 3º e 4º ano, o projeto possibilitará às crianças surdas o desenvolvimento da expressão corporal e da coordenação motora por meio da dança.
"É um projeto muito importante e que só tem a acrescentar para os nossos estudantes e para a comunidade escolar, porque inicia um processo de inclusão que terá reflexos em todo o desenvolvimento dessas crianças", avaliou a professora da turma e intéprete de Libras, Mariluce Amorim.
Maria Luzia dos Santos, 41 anos, é mãe de Larissa Santos, 17 anos, que tem deficiência intelectual. A mãe aprovou a iniciativa. "É a primeira vez que a minha filha vai participar de um projeto desse tipo, mas tenho certeza que vai ser ótimo. A escola é muito acolhedora e, vendo a dedicação destes professores, sabemos que nossos filhos serão aceitos e verdadeiramente incluídos", disse a mãe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Rosário pura maldade: Empresária é perseguida pela prefeita Irlahi

A prefeita de Rosário Irlahi  Moraes, está perseguindo a empresária Lidiane Oliveira, onde a prefeita mandou construir um muro simplesmente para os frequentadores do seu estabelecimento que fica localizado na praça em frente a prefeitura que pertence a prefeita Irlahi, não frequente o estabelecimento da empresária fechando a passagem  do estabelecimento para ninguém passar  onde a empresária  vende sorvete em frente  a praça um desrespeito para o próximo que trabalha justo.

A empresária rosariense que vende sorvete está trabalhando honestamente e justamente para sustentar sua família e a prefeita ditadora Irlahi, além de não proporcionar geração de emprego e renda na cidade  através do concurso público, fica perseguindo as pessoas onde dona do empreendimento já acionou a prefeita Irlahi, na justiça onde a prefeita  se valoriza de bem público que é da população para realiza ganhos próprios. 
A praça da prefeitura de Rosário foi construída com emenda federal de 500 mil reais onde esse val…

TRAGÉDIA: Funcionário Rosariense terceirizado da Cemar morre eletrocutado em poste na cidade de Axixá.

Tragédia marca o começo do final de semana de setembro na cidade de Axixá. Onde foi registrado um acidente fatal de trabalho, no povoado Ruy Vaz, que aconteceu por volta das 16h00min, na sexta-feira (1º) com um funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para Cemar na cidade de Rosário, que resultou na morte de um jovem identificado como José Anderson. O acidente de trabalho interrompeu os sonhos do jovem que era morador da cidade de Rosário. Segundo informações, o funcionário realizava um trabalho em uma rede baixa tensão, quando por motivos ainda desconhecidos recebeu uma descarga elétrica, ainda no poste que executava o serviço. José Anderson, era funcionário da empresa terceirizada há apenas uma semana. O gestor regional da Cemar, Demerson, que atende a região do Munim e lençóis maranhense, falou a imprensa localque os procedimentos foram feitos após o acidente. Sendorealizado a descida da vítima, depois o corpo foi encaminhado em uma ambulância para o hospital do mun…

Prefeita de Rosário compra caixões para enterrar toda a população da cidade

A prefeita de Rosário Irlahi Moraes, não  investe na saúde da cidade onde no hospital SESP não tem uma agulha e agora a gestora  pretende  enterrar toda população da cidade literalmente lançando um mau agouro aos Rosariense.
De acordo como mostra o contrato  a prefeita Irlahi, determinou a compra de mais de R$ 280 mil em caixões para defunto,  com a fornecedora Deusimar R. Ferreira, nome de fantasia Pax Nossa Senhora do Rosário. O caso deve gera polêmica e revolta onde a prefeita Irlahi pretende enterrar toda a população como mostra o contrato com a fornecedora.
O caso é parecido com o da ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite, que ficou famosa com o título de prefeita ostentação. Lidiane foi condenada por gastar R$ 130 mil em urnas funerárias… Veja o contrato abaixo: