Pular para o conteúdo principal

Assaltos levam população a ter medo de utilizar transporte coletivo


O medo ainda é o sentimento mais comum de quem é usuário de transporte coletivo em São Luís. Um dia após a divulgação por O Estado de que já foram registrados 400 assaltos a coletivos na Ilha de São Luís neste ano (número superior ao registrado durante todo o ano passado, quando ocorreram 366 assaltos do tipo), pessoas que costumam utilizar este tipo de serviço temem ser novas vítimas da criminalidade.
Mesmo durante o dia, usuários se sentem inseguros. “Outro dia, enquanto descia de um coletivo, olhei um senhor na porta do ônibus sendo assaltado. Isto poderia ter sido comigo e você olhar um fato assim te passa uma insegurança sim, muito grande”, relatou a professora aposentada Tereza Marques, que esperava um coletivo no Centro.
Outras pessoas, cansadas de esperar por providências do poder público, decidiram por conta própria, tomar medidas de precaução. “ Antes, eu saia de casa com jóias. Atualmente, saio no máximo com a bolsa e o celular, não somente por medo de me deslocar pelo Centro, ou na hora em que espero por um ônibus ou mesmo quando estou dentro dele”, disse a estudante Naara Santos.
O operador de Telemarketing, Danilo Duarte, que utiliza transporte coletivo diariamente, prefere acreditar nas crenças religiosas do que eficiência do poder público. “A gente se apega com Deus, que é o único neste momento que pode nos proteger”, afirmou. O sentimento de proteção divina durante o trajeto feito em um coletivo é compartilhado por outras pessoas. “Só mesmo Deus para nos livrar de qualquer mal”, afirmou a voluntária Terezinha Silva, moradora do João de Deus.
Rodoviários - Além dos usuários, os motoristas e cobradores de ônibus que trafegam em determinadas linhas da capital maranhense também já foram assaltados durante a jornada de trabalho. “Uma vez, quando trabalhava na linha da Liberdade, uns caras entraram e quando vi, um deles já estava com a faca na altura da minha barriga, pronto para fazer qualquer mal. Depois desceram e, quando fui à delegacia para prestar ocorrência, simplesmente os policiais de plantão disseram, quando descrevi os caras, que se tratavam de pessoas conhecidas. Quer dizer, o que faziam então soltos naquele momento?”, indagou o motorista Wilton Louzeiro, motorista da empresa Primor, da linha Fé em Deus.
O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informou que a categoria permanece em estado de greve e poderá parar as atividades a qualquer momento. De acordo com a direção do Sindicato, até o momento, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP) ainda não apresentou, de forma prática, soluções para combater os assaltos a coletivos na cidade.
Em nota enviada à Redação de O Estado na segunda-feira, a Polícia Militar do Maranhão informou que tem intensificado o patrulhamento para inibir assaltos a ônibus na Região Metropolitana de São Luís e atuado nos terminais de integração da Cohab, São Cristóvão, Praia Grande e Cohama, com a Operação Terminal Seguro. Outras ações como as Operações Catraca, Saturação e Corredor de Segurança, são realizadas na cidade. A PM informou ainda que tem mapeado os horários, itinerários e locais de circulação dos coletivos para coibir assaltos e outras práticas delituosas.
Enquete - “Tenho medo sim de ser assaltada quando pego ônibus. A gente vê tanta coisa na televisão que não tem como não sentir medo”, Claudina Cardoso – dona de casa (Claudina de Jesus)
“Antes, eu saia de casa com jóias. Atualmente saio no máximo com a minha bolsa e com o celular” , Naara Santos, estudante (Naara de Jesus)
“ Uma vez, quando trabalhava na linha da Liberdade, homens entraram e quando vi, um deles já estava com a faca na altura da minha barriga, pronto para fazer qualquer mal” , Wilton Louzeiro, motorista da empresa Primor, da linha Fé em Deus. ( Wilton de Jesus)
Números
400 é a quantidade de assaltos a coletivos registrados na capital maranhense, somente este ano
366 ocorrências do gênero foram registradas na cidade, em todo o ano passado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Rosário pura maldade: Empresária é perseguida pela prefeita Irlahi

A prefeita de Rosário Irlahi  Moraes, está perseguindo a empresária Lidiane Oliveira, onde a prefeita mandou construir um muro simplesmente para os frequentadores do seu estabelecimento que fica localizado na praça em frente a prefeitura que pertence a prefeita Irlahi, não frequente o estabelecimento da empresária fechando a passagem  do estabelecimento para ninguém passar  onde a empresária  vende sorvete em frente  a praça um desrespeito para o próximo que trabalha justo.

A empresária rosariense que vende sorvete está trabalhando honestamente e justamente para sustentar sua família e a prefeita ditadora Irlahi, além de não proporcionar geração de emprego e renda na cidade  através do concurso público, fica perseguindo as pessoas onde dona do empreendimento já acionou a prefeita Irlahi, na justiça onde a prefeita  se valoriza de bem público que é da população para realiza ganhos próprios. 
A praça da prefeitura de Rosário foi construída com emenda federal de 500 mil reais onde esse val…

TRAGÉDIA: Funcionário Rosariense terceirizado da Cemar morre eletrocutado em poste na cidade de Axixá.

Tragédia marca o começo do final de semana de setembro na cidade de Axixá. Onde foi registrado um acidente fatal de trabalho, no povoado Ruy Vaz, que aconteceu por volta das 16h00min, na sexta-feira (1º) com um funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para Cemar na cidade de Rosário, que resultou na morte de um jovem identificado como José Anderson. O acidente de trabalho interrompeu os sonhos do jovem que era morador da cidade de Rosário. Segundo informações, o funcionário realizava um trabalho em uma rede baixa tensão, quando por motivos ainda desconhecidos recebeu uma descarga elétrica, ainda no poste que executava o serviço. José Anderson, era funcionário da empresa terceirizada há apenas uma semana. O gestor regional da Cemar, Demerson, que atende a região do Munim e lençóis maranhense, falou a imprensa localque os procedimentos foram feitos após o acidente. Sendorealizado a descida da vítima, depois o corpo foi encaminhado em uma ambulância para o hospital do mun…

Criança morre após negligência médica em Axixá

Uma  criança de   1 ano onze meses perdeu a vida na cidade de Axixá, após negligência médica a mãe Valeria Silva se deslocou até o hospital e Maternidade em Axixá nesta segunda-feira (19),   na busca de atendimento médico para seu filho que se chama Dierlison Ryan, a mãe estava desesperada quando chegou no hospital na hora ser atendida o médico de plantão olhou para criança e alegou que a criança estava era só com sono e para mãe não se preocupa, sendo que a criança estava chorando e mãe falou para o médico que seu filho estava sim passado mal mais médico voltou a dizer que era só sono uma omissão de socorro por parte do médico da cidade.
A mãe não foi atendida no hospital onde o profissional da saúde ser quer examinou a criança para ver se tinha algo a mãe acabou voltando para casa sem atendimento médico, com o seu filho quando chegou em sua casa a  criança não resistiu veio a óbito,  morrendo na casa em plena cama da mãe.

A prefeita de Axixá Sônia vem fazendo uma péssima gestão e se q…