Pular para o conteúdo principal

Rodoviários não recebem salários e anunciam greve em São Luís

A população de São Luís pode ficar sem ônibus durante todo o dia de ho­je. Pelo menos é o que afirma o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (Sttrema), que decidiu suspender a circulação dos ônibus por causa de atraso no pagamento dos salários dos trabalhadores. Caso os empresários efetuem o pagamento, a qualquer hora do dia, o transporte coletivo deve voltar a funcionar normalmente. Hoje, em nova reunião, os rodoviários definirão se a greve terá continuidade.

A primeira paralisação dos rodoviários, de advertência, aconteceu na madrugada de segunda-feira, 22. Das 4h30 às 6h30 os veí­culos da maioria das empresas que exploram o serviço ficaram retidos nas garagens. Ainda no começo da manhã, os ônibus voltaram a circular e quem precisou se deslocar pela cidade não chegou a sentir muito os reflexos do movimento.

O Sttrema então decidiu, em assembleia e depois de reunir-se na Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), com a presen­ça de representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), que hoje a paralisação será mais longa. Com essa medida, o sindicato quer pressionar os empresários a efetuarem o pagamento dos funcionários, que está em atraso.

Hoje deve ser feita uma reunião de avaliação, para determinar se a paralisação se estenderá à quarta-feira. Segundo diretores do Sttrema, essa reunião de avaliação deve ser diária para determinar os caminhos do movimento, que pode se tornar uma paralisação por tempo indeterminado, caso os empresários não paguem os 40% do salário devido aos trabalhadores.

Parcelado

O salário dos rodoviários é pago em duas parcelas. A primeira até o quin­to dia útil do mês, quando é pago 60% do valor, e no dia 20, quando são pagos os 40% restantes. No entanto, segundo a entida­de, desde outubro de 2015 as empresas não estão cumprindo as da­tas acordadas. “No último mês, a primeira parcela foi paga com mais de seis dias de atraso.

Algumas empresas pagaram apenas no dia 15, quase na data em que deveriam estar pagando a segunda parcela”, afirmou Isaías Castelo Branco, presidente do Sttrema.

Por causa disso que houve a paralisação de advertência ontem. De acordo com Isaías Castelo Branco, apenas as empresas Pericumã, Viação Pelé, Viação Matos e Trans Requinte estão em dia com os pagamentos e foram as únicas cujos trabalhadores não participaram do movimento. “Essas são empresas menores. Todas as outras estão atrasando”, disse.

No início da tarde de ontem, aconteceu uma reunião na Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), com a presença de representantes do Sttrema e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) para definir a situação dos pagamentos. “Essa discussão é para regularizar o pagamento dos nossos salários. Ainda não começamos a campanha salarial 2016 e desde já as empresas já estão atrasando os acordos firmados”, comentou Isaías Castelo Branco.

De OEstado 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Rosário pura maldade: Empresária é perseguida pela prefeita Irlahi

A prefeita de Rosário Irlahi  Moraes, está perseguindo a empresária Lidiane Oliveira, onde a prefeita mandou construir um muro simplesmente para os frequentadores do seu estabelecimento que fica localizado na praça em frente a prefeitura que pertence a prefeita Irlahi, não frequente o estabelecimento da empresária fechando a passagem  do estabelecimento para ninguém passar  onde a empresária  vende sorvete em frente  a praça um desrespeito para o próximo que trabalha justo.

A empresária rosariense que vende sorvete está trabalhando honestamente e justamente para sustentar sua família e a prefeita ditadora Irlahi, além de não proporcionar geração de emprego e renda na cidade  através do concurso público, fica perseguindo as pessoas onde dona do empreendimento já acionou a prefeita Irlahi, na justiça onde a prefeita  se valoriza de bem público que é da população para realiza ganhos próprios. 
A praça da prefeitura de Rosário foi construída com emenda federal de 500 mil reais onde esse val…

TRAGÉDIA: Funcionário Rosariense terceirizado da Cemar morre eletrocutado em poste na cidade de Axixá.

Tragédia marca o começo do final de semana de setembro na cidade de Axixá. Onde foi registrado um acidente fatal de trabalho, no povoado Ruy Vaz, que aconteceu por volta das 16h00min, na sexta-feira (1º) com um funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para Cemar na cidade de Rosário, que resultou na morte de um jovem identificado como José Anderson. O acidente de trabalho interrompeu os sonhos do jovem que era morador da cidade de Rosário. Segundo informações, o funcionário realizava um trabalho em uma rede baixa tensão, quando por motivos ainda desconhecidos recebeu uma descarga elétrica, ainda no poste que executava o serviço. José Anderson, era funcionário da empresa terceirizada há apenas uma semana. O gestor regional da Cemar, Demerson, que atende a região do Munim e lençóis maranhense, falou a imprensa localque os procedimentos foram feitos após o acidente. Sendorealizado a descida da vítima, depois o corpo foi encaminhado em uma ambulância para o hospital do mun…

Prefeita de Rosário compra caixões para enterrar toda a população da cidade

A prefeita de Rosário Irlahi Moraes, não  investe na saúde da cidade onde no hospital SESP não tem uma agulha e agora a gestora  pretende  enterrar toda população da cidade literalmente lançando um mau agouro aos Rosariense.
De acordo como mostra o contrato  a prefeita Irlahi, determinou a compra de mais de R$ 280 mil em caixões para defunto,  com a fornecedora Deusimar R. Ferreira, nome de fantasia Pax Nossa Senhora do Rosário. O caso deve gera polêmica e revolta onde a prefeita Irlahi pretende enterrar toda a população como mostra o contrato com a fornecedora.
O caso é parecido com o da ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite, que ficou famosa com o título de prefeita ostentação. Lidiane foi condenada por gastar R$ 130 mil em urnas funerárias… Veja o contrato abaixo: