Pular para o conteúdo principal

Deputado Wellington denuncia abandono de mais uma escola em São Luís‏

deputado Wellington do Curso
Na tarde desta quarta-feira (04), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) visitou o local em que deveria funcionar a Unidade de Educação Básica Pedro Marcosini Bertol, no bairro Jaracaty. A visita do parlamentar teve por fundamento as inúmeras denúncias de mães que estão desesperadas ao verem seus filhos sem estudar, já que a escola permanece fechada há quase 01 ano.

Ao chegar ao prédio que está abandonado e servindo de abrigo para vândalos, o deputado Wellington foi recepcionado por inúmeras crianças que ali estudavam e mães que acompanhavam seus filhos.
“Os nossos filhos estão há mais de 01 ano sem estudar e nenhuma providência foi tomada. Nem o próprio secretário de educação fez alguma coisa. São mais de 200 crianças. Se não forem reformar, queremos, ao menos, que coloquem um local para que nossos filhos possam estudar.”, lamentou Rosa, mãe e presidente da União dos Moradores do Jaracaty.
“Eu nem sei o quero ser quando crescer. Se não tem escola, vou ser o quê? Jogador de futebol?”, questionou um dos meninos que até o ano passado cursava o 3.º ano na U.E.B Pedro Marcosini Bertol e está, atualmente, sem estudar.
Sobre a situação, o deputado Wellington mencionou que já fez as solicitações formais à Prefeitura e ao Secretário de Educação de São Luís desde a última segunda-feira (02), após a mãe de um aluno procurá-lo para denunciar o abandono.
“ Já solicitamos a reforma do prédio em que funcionava a escola. Solicitamos também que, enquanto a escola não é reformada, que seja disponibilizado um local em que as crianças possam assistir às aulas. Fizemos isso após a Dona Maria, mãe de um aluno, ir ao gabinete e nos relatar a situação.”
O deputado Wellington mencionou ainda que não irá aceitar que as crianças continuem tendo seus futuros prejudicados.
“Não estamos diante do fechamento de uma empresa, de uma fábrica ou algo similar. Não, estamos diante do fechamento de uma escola. Isso, por si só, já é algo preocupante. No entanto, o pior é o fato de mais de 200 crianças estarem sem estudar. E isso não é algo recente. Segundo as mães, isso já ocorre há mais de 01 ano. Ora, a Secretaria não sabia disso? A Prefeitura não sabia? Prefiro acreditar que eles não estavam cientes a acreditar que eles sabiam e nada fizeram. Espero que agora alguma providência seja tomada.”, lamentou.
Após conversar com algumas mães e ouvir os pedidos das várias crianças, o deputado Wellington realizará uma reunião, em data a ser definida de acordo com a disponibilidade das mães, a fim de obter uma resposta efetiva por parte da Prefeitura de São Luís. Além disso, o parlamentar informou que irá entrar em contato com a Promotoria da Educação, objetivando encontrar uma solução para a problemática apresentada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Rosário pura maldade: Empresária é perseguida pela prefeita Irlahi

A prefeita de Rosário Irlahi  Moraes, está perseguindo a empresária Lidiane Oliveira, onde a prefeita mandou construir um muro simplesmente para os frequentadores do seu estabelecimento que fica localizado na praça em frente a prefeitura que pertence a prefeita Irlahi, não frequente o estabelecimento da empresária fechando a passagem  do estabelecimento para ninguém passar  onde a empresária  vende sorvete em frente  a praça um desrespeito para o próximo que trabalha justo.

A empresária rosariense que vende sorvete está trabalhando honestamente e justamente para sustentar sua família e a prefeita ditadora Irlahi, além de não proporcionar geração de emprego e renda na cidade  através do concurso público, fica perseguindo as pessoas onde dona do empreendimento já acionou a prefeita Irlahi, na justiça onde a prefeita  se valoriza de bem público que é da população para realiza ganhos próprios. 
A praça da prefeitura de Rosário foi construída com emenda federal de 500 mil reais onde esse val…

TRAGÉDIA: Funcionário Rosariense terceirizado da Cemar morre eletrocutado em poste na cidade de Axixá.

Tragédia marca o começo do final de semana de setembro na cidade de Axixá. Onde foi registrado um acidente fatal de trabalho, no povoado Ruy Vaz, que aconteceu por volta das 16h00min, na sexta-feira (1º) com um funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para Cemar na cidade de Rosário, que resultou na morte de um jovem identificado como José Anderson. O acidente de trabalho interrompeu os sonhos do jovem que era morador da cidade de Rosário. Segundo informações, o funcionário realizava um trabalho em uma rede baixa tensão, quando por motivos ainda desconhecidos recebeu uma descarga elétrica, ainda no poste que executava o serviço. José Anderson, era funcionário da empresa terceirizada há apenas uma semana. O gestor regional da Cemar, Demerson, que atende a região do Munim e lençóis maranhense, falou a imprensa localque os procedimentos foram feitos após o acidente. Sendorealizado a descida da vítima, depois o corpo foi encaminhado em uma ambulância para o hospital do mun…

Criança morre após negligência médica em Axixá

Uma  criança de   1 ano onze meses perdeu a vida na cidade de Axixá, após negligência médica a mãe Valeria Silva se deslocou até o hospital e Maternidade em Axixá nesta segunda-feira (19),   na busca de atendimento médico para seu filho que se chama Dierlison Ryan, a mãe estava desesperada quando chegou no hospital na hora ser atendida o médico de plantão olhou para criança e alegou que a criança estava era só com sono e para mãe não se preocupa, sendo que a criança estava chorando e mãe falou para o médico que seu filho estava sim passado mal mais médico voltou a dizer que era só sono uma omissão de socorro por parte do médico da cidade.
A mãe não foi atendida no hospital onde o profissional da saúde ser quer examinou a criança para ver se tinha algo a mãe acabou voltando para casa sem atendimento médico, com o seu filho quando chegou em sua casa a  criança não resistiu veio a óbito,  morrendo na casa em plena cama da mãe.

A prefeita de Axixá Sônia vem fazendo uma péssima gestão e se q…