Pular para o conteúdo principal

Temer ignora mais votado da lista tríplice e escolhe Raquel Dodge como sucessora de Janot no comando da PGR

O presidente Michel Temer (PMDB) escolheu a subprocuradora Raquel Dodge como sucessora de Rodrigo Janot no posto de procuradora-geral da República. Ela foi a segunda mais votada na eleição realizada na terça-feira (27) pela ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República). O mais votado da lista tríplice, com 608 votos, foi o subprocurador-geral Nicolao Dino. Raquel recebeu 587 votos.
A notícia foi divulgada na noite desta quarta-feira (28) pelo porta-voz da Presidência, Alexandre Parola. "O presidente da República escolheu na noite de hoje a subprocuradora-geral da República e doutora Raquel Dodge para o cargo de procurador-geral da República. A doutora Raquel Dodge é a primeira mulher a ser nomeada para a Procuradoria-Geral da República", anunciou Parola, ressaltando o ineditismo de uma mulher assumir o posto máximo do Ministério Público Federal. Debora Duprat e Elenita Acioli já ocuparam o cargo de PGR, mas isso aconteceu em períodos de vacância do titular.
Ao preterir Dino, Temer encerra uma tradição iniciada no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2003. Tanto Lula quanto a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) sempre escolheram o primeiro colocado da tríplice lista. Apesar da tradição, a escolha do mais votado não é uma exigência. Temer, poderia inclusive, se quisesse, escolher um nome que não estivesse na lista.
Após a indicação do nome pelo presidente da República, Raquel Dodge deverá ser aprovada no Senado. Primeiro, será sabatinada na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), e depois seu nome será colocado em votação no plenário, o que não tem data prevista para ocorrer. Desde 1988, o Senado nunca rejeitou uma indicação do presidente para o comando da PGR. O mandato de Janot termina em setembro.
Segundo um assessor de Temer contou ao UOL, Raquel Dodge esteve reunida com o presidente e o ministro da Justiça, Torquato Jardim, no início da noite desta quarta no Palácio do Planalto. No encontro, comunicaram que ela tinha sido a escolhida. Apesar de constar da lista tríplice, havia a possibilidade de Temer escolher um nome que não estivesse entre os mais votados, apurou o UOL. No caso, o anúncio do eleito seria divulgado posteriormente, até mesmo após o fim do mandato de Janot.

A escolhida

Raquel Dodge será a primeira mulher a comandar a PGR, o que acontecerá a partir de setembro. Ela corre o risco de assumir o cargo em meio a um embate público entre o órgão e Temer, decorrente de a PGR ter fechado acordo de delação premiada com executivos da JBS, cujo conteúdo jogou o governo do peemedebista em uma intensa crise política. O conflito culminou com o oferecimento por Janot, nesta segunda (26), de denúncia contra Temer por corrupção passiva. O presidente disse nesta terça (27) que não há provas contra ele e afirmou que o procurador-geral fez uma denúncia que é "uma ficção" com base em "ilações".
Preterido por Temer, Nicolao Dino comanda a Procuradoria-Geral Eleitoral e foi o responsável pela denúncia que pediu a cassação da chapa Dilma-Temer no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Durante o julgamento, Dino chegou a pedir o impedimento do ministro Admar Gonzaga, nomeado por Temer e que havia trabalhado para a chapa na eleição de 2010. A corte decidiu contra a cassação por 4 votos a 3.
Enquanto Dino seria o candidato preferido de Janot à sua sucessão, Raquel Dodge teria a simpatia do Planalto e de aliados de Temer. Ela já negou ter apoio da cúpula do governo.
A escolhida por Temer é subprocuradora-geral da República e oficia no Superior Tribunal de Justiça em matéria criminal. É membro do Conselho Superior do Ministério Público pelo terceiro biênio consecutivo. Entrou no MPF em 1987 e é mestre em Direito pela Universidade de Harvard (EUA).
Em entrevista ao colunista do UOL Josias de Souza publicada no dia 26 de junho, isto é, antes da Janot entregar a primeira denúncia contra Temer ao STF (Supremo Tribunal Federal), Raquel disse que as denúncias contra Temer provocam "grande expectativa e um certo constrangimento". Segundo ela, o caso exige "temperança e destemor".
Na mesma entrevista, Raquel também falou sobre a Operação Lava Jato. Segundo ela, a investigação trouxe um "novo padrão de administração de Justiça". Para Raquel, a Lava Jato mostra que "ninguém está acima da lei"; que é possível obter resultados no combate à corrupção com as leis vigentes; e que atenuou-se a impressão de que a Justiça demora a produzir resultados.

Por Uol

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Rosário pura maldade: Empresária é perseguida pela prefeita Irlahi

A prefeita de Rosário Irlahi  Moraes, está perseguindo a empresária Lidiane Oliveira, onde a prefeita mandou construir um muro simplesmente para os frequentadores do seu estabelecimento que fica localizado na praça em frente a prefeitura que pertence a prefeita Irlahi, não frequente o estabelecimento da empresária fechando a passagem  do estabelecimento para ninguém passar  onde a empresária  vende sorvete em frente  a praça um desrespeito para o próximo que trabalha justo.

A empresária rosariense que vende sorvete está trabalhando honestamente e justamente para sustentar sua família e a prefeita ditadora Irlahi, além de não proporcionar geração de emprego e renda na cidade  através do concurso público, fica perseguindo as pessoas onde dona do empreendimento já acionou a prefeita Irlahi, na justiça onde a prefeita  se valoriza de bem público que é da população para realiza ganhos próprios. 
A praça da prefeitura de Rosário foi construída com emenda federal de 500 mil reais onde esse val…

TRAGÉDIA: Funcionário Rosariense terceirizado da Cemar morre eletrocutado em poste na cidade de Axixá.

Tragédia marca o começo do final de semana de setembro na cidade de Axixá. Onde foi registrado um acidente fatal de trabalho, no povoado Ruy Vaz, que aconteceu por volta das 16h00min, na sexta-feira (1º) com um funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para Cemar na cidade de Rosário, que resultou na morte de um jovem identificado como José Anderson. O acidente de trabalho interrompeu os sonhos do jovem que era morador da cidade de Rosário. Segundo informações, o funcionário realizava um trabalho em uma rede baixa tensão, quando por motivos ainda desconhecidos recebeu uma descarga elétrica, ainda no poste que executava o serviço. José Anderson, era funcionário da empresa terceirizada há apenas uma semana. O gestor regional da Cemar, Demerson, que atende a região do Munim e lençóis maranhense, falou a imprensa localque os procedimentos foram feitos após o acidente. Sendorealizado a descida da vítima, depois o corpo foi encaminhado em uma ambulância para o hospital do mun…

Prefeita de Rosário compra caixões para enterrar toda a população da cidade

A prefeita de Rosário Irlahi Moraes, não  investe na saúde da cidade onde no hospital SESP não tem uma agulha e agora a gestora  pretende  enterrar toda população da cidade literalmente lançando um mau agouro aos Rosariense.
De acordo como mostra o contrato  a prefeita Irlahi, determinou a compra de mais de R$ 280 mil em caixões para defunto,  com a fornecedora Deusimar R. Ferreira, nome de fantasia Pax Nossa Senhora do Rosário. O caso deve gera polêmica e revolta onde a prefeita Irlahi pretende enterrar toda a população como mostra o contrato com a fornecedora.
O caso é parecido com o da ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite, que ficou famosa com o título de prefeita ostentação. Lidiane foi condenada por gastar R$ 130 mil em urnas funerárias… Veja o contrato abaixo: