Pular para o conteúdo principal

Empresário com dois contratos no governo do MA confessa corrupção

Francisco Antelius Sérvulo Vaz, dono da Epeng-Empresa Projetos de Engenharia LTDA, que ficou preso durante 39 dias em Palmas, no Tocantins, por participar de esquemas de desvio de dinheiro de obras de rodovias, confessou pelo menos três falcatruas já no primeiro depoimento, um dia depois de ter sido recolhido à carceragem da Polícia Federal. A possibilidade de Antelius Sérvulo vir a fazer delação premiada tem deixado políticos preocupados.
A Epeng é maranhense, de Codó, e no segundo semestre do ano passado, quando já estava sob investigação pela Polícia Federal, ganhou duas licitações do Governo do Maranhão. Uma para fazer a ponte sobre o Rio Pericumã, na MA-211, entre Bequimão e Central do Maranhão, e a rodovia que vai de Buriti Bravo ao povoado de Café Buriti. Os dois contratos somam quase R$ 100 milhões – R$ 68,3 milhões da ponte e 29,7 milhões da rodovia.
No Tocantins, a Epeng ganhou, em 2014, o contrato para realizar terraplenagem e asfalto na BR-010, de Ananás a Araguatins, com 81km de extensão, valor inicial de R$ 70.782.278,82, mais tarde aditivado para R$ 89.006.631,18. Antelius chegou a receber mais de R$ 35 milhões. A obra começou no governo de Siqueira Campos, passou pelo governo de Sandoval Cardoso (que ficou nove meses no cargo, em substituição a Campos) e foi suspensa no começo do atual governo, de Marcelo Miranda.
Apesar da obra não ter ido além de 30% do que deveria ter sido feito, as medições já autorizavam pagamentos de mais de R$ 70 milhões. Auditoria da Controladoria Geral da União (CGU) constatou que dos mais de R$ 35 milhões pagos, pelo menos R$ 9.507.994,34 se referem a “serviços não executados”. Antelius teria retornado grande parte desse dinheiro para políticos de pelo menos dois estados, no auge da campanha eleitoral de 2014. A lavagem de valores consideráveis era feita via postos de combustíveis, uma distribuidora de roupas e uma revenda de carros com sedes no Tocantins e no Maranhão.
Confissão
Preso no dia 13 de outubro de 2016, na Operação Ápia, da Polícia Federal, Francisco Antelius confessou que repassou R$ 120 mil para Estemir de Sousa Pereira, chefe dos fiscais responsáveis pelas medições e que atestavam serviços a mais para forçar a liberação maiores de recursos pelo Banco do Brasil. Antelius confessou também ter contratado aluguel de máquinas pesadas de Pedro Olímpio Pereira Furtado Neto, engenheiro do Estado responsável pela execução do contrato, e que tinha consciência da existência de laudos falsos exigindo a aplicação de “colchões drenantes de brita” só para forçar um aditivo de quase 25% sobre o valor inicial da obra.

Antelius foi solto no dia 21 de novembro, um mês e oito dias depois de ter sido preso. Ele aguarda em liberdade a conclusão das investigações e do julgamento. Existe a possibilidade de uma delação premiada e a revelação dos nomes dos políticos que receberam dinheiro nas campanhas de 2014.
Maranhão
A descoberta das falcatruas praticadas no estado do Tocantins e a notícia da prisão do seu proprietário, Francisco Antelius Sérvulo Vaz, não alteraram em nada os negócios entre a construtora e o Governo do Maranhão. Desde a prisão de Antelius, já foram depositados nas contas da Enpeg mais de R$ 11 milhões pelo que se via, ontem, no Portal da Transparência. No dia 29 de novembro no ano passado, quando foram pagos R$ 1 milhão, Sérvulo estava na cadeia da PF em Tocantins.
Já no dia 29 de abril deste ano, a Justiça Federal decretou o bloqueio de bens do patrimônio pessoal do empresário, até o valor de R$ 16.763.127,21; bloqueio no mesmo valor no patrimônio da mulher dele, Márica Karla Oliveira Borges Vaz, e outros quase R$ 17 milhões do filho deles, Mário Diego Borges Vaz. O bloqueio total contra o patrimônio dos donos da Enpeg ultrapassa a metade do valor dos contratos de R$ 100 milhões em vigor com o Governo do Maranhão.

Por Gilberto Léda

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Criança morre após negligência médica em Axixá

Uma  criança de   1 ano onze meses perdeu a vida na cidade de Axixá, após negligência médica a mãe Valeria Silva se deslocou até o hospital e Maternidade em Axixá nesta segunda-feira (19),   na busca de atendimento médico para seu filho que se chama Dierlison Ryan, a mãe estava desesperada quando chegou no hospital na hora ser atendida o médico de plantão olhou para criança e alegou que a criança estava era só com sono e para mãe não se preocupa, sendo que a criança estava chorando e mãe falou para o médico que seu filho estava sim passado mal mais médico voltou a dizer que era só sono uma omissão de socorro por parte do médico da cidade.
A mãe não foi atendida no hospital onde o profissional da saúde ser quer examinou a criança para ver se tinha algo a mãe acabou voltando para casa sem atendimento médico, com o seu filho quando chegou em sua casa a  criança não resistiu veio a óbito,  morrendo na casa em plena cama da mãe.

A prefeita de Axixá Sônia vem fazendo uma péssima gestão e se q…

MP notificou a prefeita Irlahi e Calvet Filho por campanhas irregulares e crimes eleitorais; Irlahi ainda responde por Showmício

Rosário-MA: Dois candidatos a prefeitos de Rosário foram notificados na Justiiça Eleitoral pelo Ministério Público, devido a irregularidade em suas campanhas e até crimes eleitorais.  As notificações foram assinadas pela juíza eleitoral Karine Lopes de Castro da 18ª Zona Eleitoral-MA.

Contra Irlahi Moraes (PMDB) pesa a representação Nº 795-46.2016.6.10.0094 e contra Calvet Filho (PSDB) a N° 746-31.2016.10.6.10.0094. É importante ressaltar que eles podem recorrer, mas por se tratar de ações ingressadas pelo próprio MP é bem possível que sejam punidos. Nos bastidores políticos já é esperado que ambas campanhas recebam multas pesadas.


Irlahi Moraes desde a sua convenção tem atropelado todos os protocolos eleitorais, por exemplo: realizando caminhada no dia da sua convenção pelas ruas da cidade a distâncias superiores a 100 metros do local do evento. Já Calvet Filho ates mesmo da eleição já fazia propaganda irregular desafiando a Justiça Eleitoral com comícios, carros adesivados com propaga…

Empresária morre após ser baleada durante assalto e populares pedem justiça e querem invadir a delegacia de Rosário e linchar os assassinos.

Empresária Adilce Silva  dona da academia Espaço Fitness  morreu após ser baleada durante um assalto na noite   deste domingo (21) .   De acordo com informações a vítima estava na padaria da família que fica localizada na rua Benedito Leite no centro de Rosário, quando foi abordada pelos dois criminosos que são menores de idade. Segundo informações Adilce  e familiares entregaram os celulares e os pertences mais mesmo assim um dos criminosos atirou na empresária um absurdo um ato de crueldade com uma pessoa de bem um dos criminoso chegaram aponta a arma para uma criança de 4 anos sendo que a criança neto de Adilce .
A empresaria foi levada ao hospital SESP mais não resistiu Adilce Silva era casada com Zondeck Anceles que é irmão do gestor da regional da saúde de Rosário Willame Anceles. a empresaria Adilce é um símbolo do mundo fitness e na cidade e região.
Os bandidos foram presos e a população cercou a delegacia e  a população esta revoltada e pedindo justiça.
A violência to…