Pular para o conteúdo principal

Empresas querem aumento de passagens de ônibus em São Luís


As empresas que constituem há um ano os consórcios vencedores do processo licitatório de São Luís no setor de transporte coletivo formalizaram pedido de revisão de passagens à Prefeitura de São Luís. A informação foi confirmada a O Estado por um integrante da direção do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET). O Município, de acordo com o SET, tem até o fim deste mês para se pronunciar sobre o assunto.
De acordo com a direção do SET, a solicitação de revisão de tarifas está prevista no edital do certame, finalizado no ano passado e que escolheu as empresas que atuariam no setor de transporte de passageiros.
Segundo o documento e conforme previsto em seu item 3.1 referente à “manutenção do equilíbrio econômico-financeiro da concessão”, neste caso, é assegurado à concessionária o reajuste anual do que o edital de licitação denomina de “tarifa de remuneração”. Segundo o edital, o reajuste seria concedido “por ato do poder concedente”.

Em contrapartida, o mesmo documento - em seu item 3.1.1 - prevê que “o poder concedente” promova revisões tarifárias a cada quatro anos, contados a partir do momento da assinatura do contrato entre as empresas e o poder público, o que aconteceu até setembro do ano passado. Ou seja, pelo que prevê inicialmente o próprio edital do transporte, a Prefeitura teria a licença de rever os valores das passagens até o ano de 2020.
Até o fechamento desta edição, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), pasta responsável pelo gerenciamento do setor ludovicense, não se pronunciou sobre o assunto. Gestores de algumas empresas informaram ainda que uma reunião entre o Município e os empresários deverá ocorrer nas próximas semanas para discutir o possível reajuste tarifário. A Prefeitura, por sua vez, não emitiu qualquer parecer sobre esse possível encontro.
Reajuste
O último reajuste nos valores das tarifas de ônibus na capital maranhense foi confirmado pela Prefeitura de São Luís no dia 23 de março do ano passado. Os valores foram modificados dois dias depois e com um percentual de aumento de 11,8%.
Segundo o Município, à época, a elevação nos valores tarifários foi necessária pelas dificuldades apresentadas ao poder público pelos empresários do setor. Na ocasião, os donos das empresas pediram um reajuste de 22%. No entanto, após negociações, houve consenso entre as partes e o percentual foi modificado.

Atualmente, os empresários alegam que, além dos tributos referentes ao setor, precisam lidar com gastos como a majoração do preço do diesel, por exemplo, que recentemente sofreu alteração. Além disso, ainda de acordo com os proprietários das empresas, a capital maranhense ainda possui, em termos proporcionais, uma das menores tarifas do país.
Por outro lado, a Prefeitura tentará frear mais este aumento nas tarifas. Recentemente, em negociação entre os empresários do setor e os rodoviários (que exigiam aumento nos salários), o Município chegou a cogitar o aumento nas tarifas para facilitar as negociações. No entanto, recuou.
SAIBA MAIS
No total, quatro lotes foram oferecidos pelo edital de licitação de transporte, considerada umas das principais medidas administrativas da Prefeitura, nos últimos anos. Além do Consórcio Central (Lote I), também atuam no setor os consórcios Via SL (Lote II) e Upaon-Açu (Lote III). Completa o mercado a Viação Primor (Lote IV). Os lotes foram determinados pelo próprio Município a partir de divisão territorial urbana de São Luís.


Lote I (Consórcio Central): Ratrans e Taguatur;
Lote II (Consórcio Via SL): 1001 Expresso e Rei de França;
Lote III (Consórcio Upaon-Açu): Autoviária Matos, Viper Transportes, Viação Abreu, Viação Aroeiras e Planeta;
Lote IV: Viação Primor

Do imirante

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em Rosário pura maldade: Empresária é perseguida pela prefeita Irlahi

A prefeita de Rosário Irlahi  Moraes, está perseguindo a empresária Lidiane Oliveira, onde a prefeita mandou construir um muro simplesmente para os frequentadores do seu estabelecimento que fica localizado na praça em frente a prefeitura que pertence a prefeita Irlahi, não frequente o estabelecimento da empresária fechando a passagem  do estabelecimento para ninguém passar  onde a empresária  vende sorvete em frente  a praça um desrespeito para o próximo que trabalha justo.

A empresária rosariense que vende sorvete está trabalhando honestamente e justamente para sustentar sua família e a prefeita ditadora Irlahi, além de não proporcionar geração de emprego e renda na cidade  através do concurso público, fica perseguindo as pessoas onde dona do empreendimento já acionou a prefeita Irlahi, na justiça onde a prefeita  se valoriza de bem público que é da população para realiza ganhos próprios. 
A praça da prefeitura de Rosário foi construída com emenda federal de 500 mil reais onde esse val…

TRAGÉDIA: Funcionário Rosariense terceirizado da Cemar morre eletrocutado em poste na cidade de Axixá.

Tragédia marca o começo do final de semana de setembro na cidade de Axixá. Onde foi registrado um acidente fatal de trabalho, no povoado Ruy Vaz, que aconteceu por volta das 16h00min, na sexta-feira (1º) com um funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para Cemar na cidade de Rosário, que resultou na morte de um jovem identificado como José Anderson. O acidente de trabalho interrompeu os sonhos do jovem que era morador da cidade de Rosário. Segundo informações, o funcionário realizava um trabalho em uma rede baixa tensão, quando por motivos ainda desconhecidos recebeu uma descarga elétrica, ainda no poste que executava o serviço. José Anderson, era funcionário da empresa terceirizada há apenas uma semana. O gestor regional da Cemar, Demerson, que atende a região do Munim e lençóis maranhense, falou a imprensa localque os procedimentos foram feitos após o acidente. Sendorealizado a descida da vítima, depois o corpo foi encaminhado em uma ambulância para o hospital do mun…

Criança morre após negligência médica em Axixá

Uma  criança de   1 ano onze meses perdeu a vida na cidade de Axixá, após negligência médica a mãe Valeria Silva se deslocou até o hospital e Maternidade em Axixá nesta segunda-feira (19),   na busca de atendimento médico para seu filho que se chama Dierlison Ryan, a mãe estava desesperada quando chegou no hospital na hora ser atendida o médico de plantão olhou para criança e alegou que a criança estava era só com sono e para mãe não se preocupa, sendo que a criança estava chorando e mãe falou para o médico que seu filho estava sim passado mal mais médico voltou a dizer que era só sono uma omissão de socorro por parte do médico da cidade.
A mãe não foi atendida no hospital onde o profissional da saúde ser quer examinou a criança para ver se tinha algo a mãe acabou voltando para casa sem atendimento médico, com o seu filho quando chegou em sua casa a  criança não resistiu veio a óbito,  morrendo na casa em plena cama da mãe.

A prefeita de Axixá Sônia vem fazendo uma péssima gestão e se q…